Plano de Atividades e Orçamento 2018

INTRODUÇÃO

Os Corpos Sociais propõem-se cumprir o programa que formularam com o propósito de dignificar o Alentejo, a sua cultura e o seu povo.

Continuaremos a intervir ativamente no Alentejo participando em debates públicos e apoiando as candidaturas alentejanas que estão a ser preparadas.

Pretendemos que a Coletividade seja, cada vez mais, um espaço de debate de ideias e de propostas para fazer avançar o Alentejo e o País.

PLANO DE ATIVIDADES

Estatutos

Estamos empenhados em lançar o debate sobre a atualização dos Estatutos.

Sócios

Tarefa inadiável é a de promover uma vasta campanha para novos sócios, de forma a aumentar e rejuvenescer o número de sócios da nossa Associação, que será determinante para o futuro próximo da Casa do Alentejo.

Iremos incentivar uma campanha e promover ações de angariação de novas filiações junto de municípios, freguesias, instituições, empresas, núcleos concelhios, culturais e outras.

Relações Institucionais

Dinamizaremos as relações da Casa do Alentejo com diversas entidades, nomeadamente, os órgãos do Poder Local Democrático, Entidades Regionais de Turismo, Direção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo, Secretaria de Estado da Cultura, Direção Regional da Cultura do Alentejo, Núcleos de Amigos da Casa do Alentejo, Associações de Solidariedade, Associações e Instituições da zona da Grande Lisboa e Setúbal, zonas onde vive e trabalha uma numerosa comunidade de alentejanos.

Estaremos solidários e a prestar apoio a instituições e associações tais como:

URAP, Conquistas da Revolução, MPPM – Movimento Pelo Povo Palestino e Pela Paz no Médio Oriente, Conselho da Paz, Associação das Coletividades do Concelho de Lisboa.

Continuaremos a estabelecer parcerias com as outras Associações Regionalistas, Casa do Alentejo de Toronto, com Casas Congéneres da Lusofonia, e a impulsionar as relações com as diversas instituições promotoras da Candidatura do Cante Alentejano a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Estamos recetivos em alargar as nossas relações a outras instituições, tais como a Universidade de Évora, e os Institutos Politécnicos de Beja e Portalegre.

Na Casa do Alentejo nasceu, em maio de 2015, o Movimento AMAlentejo, tendo alguns elementos da Direção integrado a Comissão Promotora. Participámos ativamente no Congresso de Tróia, em 2 de abril de 2016. Estamos envolvidos e empenhados na preparação do Congresso AMAlentejo que se irá realizar, em abril de 2018, em Castelo de Vide.

Património

Tendo sempre em conta a valorização e restauro da nossa sede, temos várias obras em curso e programámos para o próximo ano as seguintes:

Aumentar a cozinha, acrescentando-a com o espaço do Bar “Velho” (2º andar). Não descuraremos a dignidade do painel emblemático de Rogério Ribeiro “Homenagem aos Camponeses da Reforma Agrária”;
As acessibilidades constituem um objetivo de concretização fundamental;
Colocar corrimão na escadaria de acesso ao Páteo;
Douramento dos florões no Salão dos Espelhos;
Renovar e recuperar o Museu (Sala de Exposições Permanentes).

Atividades Culturais

Cumprindo o objetivo de divulgar o Alentejo, a vida e a cultura alentejana, vamos incentivar a vinda de novas gerações à “embaixada alentejana”, para que aqui mostrem o que as distingue e inova, nas várias componentes – arte, escrita, cante, mas também outras iniciativas sociais que estão a surgir nos concelhos.

A nossa Casa é visitada diariamente por centenas de turistas que se encantam com a beleza e esplendor da nossa sede. Sentimos o dever de lhes mostrarmos que somos uma Associação Regionalista que representa a grande região Alentejo na capital e que a queremos divulgar. Para tal, continuamos a acalentar o projeto de adquirir uma máquina interativa que mostre e promova a Região e a realizar reuniões com os guias assíduos.

As tardes culturais de sábado continuarão a realizar-se de forma variada com uma programação cultural de qualidade, atraindo as semanas concelhias, que devem ser convidadas pela Direção, com a promoção de espetáculos musicais, recitais de poesia, exposições, feiras, almoços/jantares temáticos, conferências, lançamentos de livros.

Iremos divulgar estes eventos junto das freguesias e municípios da área metropolitana de Lisboa.

Dentro das nossas possibilidades apoiaremos eventos solidários alentejanos e outros, que a Direção considerar complementares ao nosso programa.

Estamos empenhados em estabelecer/divulgar, antecipadamente, um programa para as comemorações calendarizadas das datas festivas: Dia Internacional da Mulher, 25 de Abril, Comboio do Cante, 1º de Maio – Dia do Trabalhador, 10 de Junho, o aniversário da Associação Alentejana; participação dos Grupos Corais de Cante Alentejano no Festival Mexefest no aniversário do Reconhecimento do Cante a Património Cultural Imaterial da Humanidade; Tarde Cultural Infantil de Natal.

Os bailes de domingo necessitam de alguma renovação de modo a que possam captar e satisfazer novos públicos.

Para a nossa Biblioteca “Victor Paquete” continuamos a envidar esforços para adquirirmos as obras completas dos principais escritores e poetas alentejanos. Queremos melhorar ainda as condições do espaço de modo a que continue a receber lançamentos de livros, tertúlias poéticas e culturais.

Impõe-se a remodelação da Sala de Exposições Permanentes (Museu), tornando-a num espaço mais vivo e animado, de modo a atrair mais visitantes e dando-lhe uma maior visibilidade.

Cante Alentejano

A Casa do Alentejo foi uma das participantes ativas no Protocolo do Cante Alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade. Consideramos que a nossa Agremiação é o espaço privilegiado para o Cante e continuaremos disponíveis para analisarmos com os Grupos Corais, e com as outras entidades do Protocolo como aportar maior qualidade à organização dos eventos de Cante e criar uma imagem mais apelativa aos próprios Grupos Corais.

Gastronomia e convívio

A Casa do Alentejo, no coração de Lisboa, deverá ser o espaço privilegiado de promoção e divulgação da gastronomia e dos produtos de qualidade da Região. Tendo como suporte os espaços esplendorosos da nossa sede, restaurantes e salões, pretendemos assegurar um serviço de atendimento de maior qualidade. Queremos imprimir novas expressões ao convívio, ao petisco e ao cante alentejano, aproveitando as perfeitas condições da Taberna, do Largo Manuel da Fonseca e do novo Espaço Alentejo.

Estamos a preparar a abertura da nova Loja na Rua das Portas de Santo Antão, onde saber fazer, criar, escrever, cantar Alentejo irá ter lugar único, referimo-nos à loja de artesanato, que está praticamente equipada e prestes a tornar-se mais um meio de divulgação da cultura e da região Alentejo.

Organização e Gestão

A Direção distribuiu e irá ajustar, sempre que necessário e de forma criteriosa, os “pelouros” de modo a que cada diretor ou diretora assuma, efetivamente, a responsabilidade de uma ou mais áreas de gestão, cabendo ao presidente a coordenação e dinamização da equipa. Estamos cientes que, dada a dimensão que a nossa Casa atingiu, a gestão exige responsabilidade, conhecimento e profissionalismo.

A qualificação, profissionalismo e responsabilização dos trabalhadores da Casa do Alentejo, continuará a merecer a nossa melhor atenção, particularmente, em áreas decisivas como a restauração, mas também na área dos serviços administrativos e no atendimento aos sócios e ao público em geral. Iremos apostar na formação dos trabalhadores, experimentando outras modalidades. Continuaremos a insistir na imagem e na apresentação dos nossos trabalhadores/colaboradores.

Recursos Humanos

Os Recursos Humanos são um ativo muito importante, no desenvolvimento e aplicação, das deliberações da Direção da Casa do Alentejo.

O efetivo total, por 38 trabalhadores, aumentou em junho com a criação de novos postos de trabalho, devido à abertura do “Espaço Alentejo”.

Em matéria salarial, a Casa do Alentejo, vai manter a prática há muito seguida, de aumentos salariais anuais, com efeitos a janeiro.

Este procedimento, por parte da Direção, representa um grande esforço em melhorar as condições económicas dos trabalhadores, para fazer face à inflação, mas com algum crescimento, económico dos trabalhadores.

A Direção da Casa do Alentejo, irá proceder a uma avaliação do desempenho dos trabalhadores, de forma a revelar, a disponibilidade e responsabilidade profissional de cada trabalhador, para se detetar falhas no atendimento, na capacidade e funcionalidade, e assim dar prioridade à formação profissional, como ferramenta de melhoria e aperfeiçoamento individual a nível do atendimento e outras variáveis no conhecimento da cultura Alentejana, analisar as carências e intervir para cada vez oferecer melhor qualidade a quem nos visita.

Contudo devemos registar que a generalidade dos trabalhadores continuou a demonstrar dedicação pela Associação procurando servir os visitantes profissionalmente, e com atenção e dignidade que eles merecem.

Comunicação e Imagem

Procuraremos encontrar soluções para continuar a publicar a revista “Alentejo”, que ao longo dos treze anos da sua existência, tem tido um papel de grande, valor na comunicação, na informação, no debate e na cultura, levando o Alentejo e a Casa do Alentejo a todo o Portugal e a outros países.

Iremos na tradição das publicações C.A., publicar alguns livros sobre o património da nossa sede e da cultura alentejana.

A Casa do Alentejo precisa de continuar a qualificar e a publicitar a sua imagem e meios de comunicação. Prosseguiremos na tentativa de publicitar nas rádios e jornais alentejanos as nossas atividades culturais, bem como nos meios restantes de comunicação social nacionais.

Continuaremos a utilizar o correio eletrónico na divulgação de eventos e informações gerais, de modo a podermos chegar mais próximo dos nossos sócios, mas também de associações, instituições culturais, autarquias, mas também aos amigos da Casa do Alentejo. Pretendemos melhorar e atualizar, regularmente, a página da Casa do Alentejo e o Facebook, com informações sobre a vida da Associação.